Titulo
Por: Adriano Rocha

Devasso!

A construção do CJ 'Devasso' pode ser considerada um marco no off-road brasileiro. Razão para isso não falta, do motor aos eixos, foi tudo feito ao extremo!

O apelido do Jeep é Devasso! Precisa dizer mais? Precisa. Com todo o aparato de modificações que o CJ recebeu, é impossível não falar mais a respeito. Pode-se dizer inclusive que não são simples modificações e sim um carro construído praticamente do zero.

Jeep Devasso

O Jeep CJ5 ano 1958 de Ramiro Eli já passou por uma série de configurações. De original já passou por motor retrabalhado, eixos de Dana 44 com bloqueio, câmbio e caixa de transferência da Bandeirante e por aí vai. Mas foi no final de 2006 que a coisa tomou um rumo digamos, mais radical, quando Ramiro encontrou um par de eixos de Unimog em um desmanche. A partir daí a transformação do CJ deu um salto e começou a existir o Devasso como conhecemos hoje.

Os eixos do caminhão Mercedes Unimog 411 estavam há vários anos parados. Claro, uma revisão geral foi necessária, mas pelas qualidades dos eixos, valeu a pena o sacrifício. Eles possuem entre outras vantagens, o fato de serem pórticos – aumentando o vão livre em seis polegadas -, de ter uma espécie de reduzida com relação 2,13:1 nos portais (além da relação de 3,54:1 dos diferenciais) e já possuir bloqueios originais da Mercedes Benz. Sem contar é claro, a robustez que um eixo deste possui.

Veja também

::: Revelada a arma de Carlos Sainz para o Dakar 2014..

::: Range Rover Evoque fica agarrado na praia e quase é levado em Santa Catarina.

::: Confira os veículos 4x4 mais vendidos no último mês e os Top 3 Jipes e Picapes.


Para utilização dos eixos Unimog, o primeiro passo foi enviá-los para a Ensimec. Lá foi feita a revisão geral com troca dos parafusos e rolamentos. A empresa também foi responsável pela confecção do braço high steer e de novos cubos com furação Willys, que substituíram os originais. Esta alteração facilitou o problema de espaço entre as rodas para se colocar os freios a disco vindos da Hilux (pinças dianteiras), VW Santana (pinças traseiras), F1000 4x4 (discos) e Opala (cilindro mestre e hidrovácuo).

Outra grande transformação foi a construção de um novo chassi tubular (produzido pela Spider 4x4). Com esta utilização, conseguiu-se um jipe mais leve e rígido, deixando todo o trabalho de torção para a excelente suspensão, também criada pela Spider 4x4. O modelo utilizado foi um four-link com terminais rotulares e anti-squat (tendência da traseira do jipe levantar sob aceleração) ajustável. As molas foram feitas sob encomenda e trabalham com um kit Dual Rate Spring que permite a regulagem de duas molas (uma macia e outra mais dura). Os amortecedores são Coilover Rock Crawler 9100, com 17 polegadas de curso. Como o próprio Ramiro diz: "ter uma suspensão totalmente regulável é algo simplesmente espetacular! De forma relativamente fácil, é possível alterar a altura do carro, ângulo do pinhão e até a dureza das molas, alternando a posição das molas macias".

Com todo este arsenal, os pneus não podiam ficar para trás. A escolha de Ramiro foi um jogo de Super Swamper Bogger 37x13R15 (que pouco antes de fechar esta edição, ficamos sabendo que já foram substituídos por TSL de 42 polegadas!) e rodas Mangels Daytona 15x10 com bead lock da RC4x4.

Devasso Jeep

Você deve estar se perguntando: o que será que empurra um CJ com eixo de caminhão e pneus enormes? A resposta é simples, o conhecido motor GM 6 cilindros do Opala! O detalhe é que ele recebeu um ótimo trabalho que o tornou um 4.4 que gera 190 cv a 3.300 rpm e torque de 42,7 kgfm a 3.200 rpm. O motor GM recebeu comando Crane 268º Hi Torque Off-Road, válvulas 50 x 40 mm e carburador Weber 44 IDF niquelado. A preparação não pára por aí e inclui turbo GTS 63 com válvula de alívio incorporada trabalhando com 0,9 kg de pressão.
Um câmbio automático de quatro marchas da GM Blazer (modelo 4L60E) foi a opção ideal para o Devasso. O câmbio é eletrônico e possui módulo TCI programável que possibilita ajustar o regime de rotações que o motor irá trabalhar e vários tipos de acertos como a velocidade que as marchas serão engatadas e o tempo que o câmbio deve ´patinar' entre as trocas de marchas. O câmbio é conectado, com um kit Novak, a uma T-Case Atlas II. Sonho de consumo para jipeiros, esta caixa de transferência é praticamente indestrutível e ainda permite escolher individualmente qual eixo será tracionado. Ele tem duas alavancas que controlam separadamente o eixo traseiro e o dianteiro.

No final, não se tem apenas a t-case como sonho de consumo. Ele se transformou em um modelo desejado e admirado por qualquer apaixonado por off-road. Sem dúvida, o Devasso é o que todo jipe quer ser quando crescer.

Galeria de Fotos - Jeep Devasso

Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos
Galeria de Fotos Galeria de Fotos Galeria de Fotos            


 

COMENTÁRIOS Comente